Durban, por que não?

11 12 2009

Sempre me perguntei por que Durban nunca foi muito divulgada no Brasil. Basta verificar a quantidade de pacotes existentes no mercado. Hoje, praticamente todas as agências e operadoras de turismo especializadas oferecem programas para Cape Town, para a Rota Jardim, para o Kruger Park e, claro, para Sun City. No entanto, não se vê muitos pacotes para a cidade conhecida como “o playground” da África do Sul.

O mesmo acontece com os cursos de inglês. Enquanto Cape Town tem aproximadamente 40 escolas, Durban tem apenas umas 10 (e olhe que uma das principais fechou as portas ano passado e hoje tem vista para a Table Mountain!). E cidades da Rota Jardim, como Jeffreys Bay e Plettenberg Bay, mesmo com estruturas inferiores e número reduzido de escolas, acabam sendo mais procuradas do que Durban.


Localização de Durban no Google Maps.

Clique aqui e vá direto ao mapa.

Com a proximidade da Copa do Mundo a cidade se torna cada dia mais popular. O brasileiro pouco a pouco vai descobrindo e se interessando por Durban, uma vez que a cidade irá receber alguns dos principais jogos do campeonato.

A terceira maior cidade da África do Sul (atrás de Johannesburg e Cape Town) tem todos os atrativos para agradar os brasileiros: sol, quilometros de praias de areias brancas e, me arrisco a dizer, o maior mix de culturas do país. É possível chegar a Durban partindo de várias cidades sul-africanas, a principal é Johannesburg, que tem um serviço de ponte aérea servido por várias companhias.

Se você só esteve em Cape Town e deu uma passadinha para descansar uma noite em Johannesburg provavelmente não viu a “África” que verá em Durban. A cidade é um dos grandes expoentes culturais da África do Sul e mistura na medida certa as tradições Zulu, Indiana e Inglesa.

Para explicar a diversidade cultural de Durban é necessário relembrar a sua história. – pretendo escrever um post inteiro sobre ela e outro completo sobre as tribos -. Resumindo, o povo Zulu, a maior tribo do país, tem em Durban a sua “terra natal”. A cultura é tão forte que está presente em nomes de praças, parques, ruas e da própria província, KwaZulu-Natal. E algumas palavras do dialeto são utilizadas por todos na África do Sul, mesmo quando se fala inglês, como por exemplo Yebo (sim/confirmação), comum de se ouvir quando alguém atende o telefone ou afirma algo.

Descendente da tribo Zulu mantem as tradições vivas!

Os indianos começaram a chegar na cidade em 1860 para trabalhar nas plantações de algodão e cana de açucar. O mais ilustre, Mahatma Ghandi, na época conhecido como Mohandas, mudou-se para Durban para trabalhar em uma firma de advocacia indiana instalada na cidade. Em uma viagem de trem para a vizinha Pietermaritzburg, Ghandi foi expulso da primeira classe por não ser branco, e passou a advogar contra as leis discriminatórias da África do Sul. – de novo, também pretendo escrever um post sobre a cultura indiana no país.

A cultura indiana adicionou a Durban uma atmosfera ainda mais exótica e algumas das melhores atrações turísticas da cidade são os mercados e restaurantes indianos. Tomar um riquixá para ir de um ponto a outro na praia é comum e os turistas adoram. E, se não estiver acostumado com comida codimentada peça “non spicy, please!“.

Riquixá em Durban, meio de transporte incomum!

O morador de Durban é “easy going” e costuma ir a praia todos os dias após o trabalho. As ondas são muito disputadas pelos surfistas, conhecidos como “Durban boys“, que caem no mar dia ou noite, já que parte da praia tem uma iluminação instalada especialmente para o surf noturno.

O Golden Mile, calçadão da cidade, é conhecido por suas inúmeras lojas e cafés. É também um dos principais pontos de compras de artesenatos, como as jóias feitas com miçanga produzidas pelo povo zulu, que podem ser encontradas em diversas barracas espalhadas pela área. Em uma das pontas do calçadão está localizado o uShaka Marine World, um dos maiores aquários do mundo que divide espaço com um shopping, vários restaurantes e um parque aquático que proporciona o visitante mergulhar com tubarões.

Uma outra área que vale a pena conferir é a Florida Road, no bairro de Musgrave. Trata-se de uma avenida conhecida por sua vida noturna repleta de restaurantes, cafés e boates. Durante o dia, além dos restaurantes, lojas, galerias de arte e estúdios de alguns dos artistas mais celebrados da cidade dão vida a área. Como é considerada uma das áreas mais agradáveis de Durban, o bairro de Musgrave tem hotéis concorridos, principalmente durante o verão.

Umhlanga é considerada a “Hamptons” da cidade. A praia, quase selvagem, está localizada na costa norte de Durban. Além de ótimas opções de shoppings e restaurantes, Umhlanga concentra o maior número de hotéis de luxo e butique da região.

Umhlanga, a praia favorita deste que escreve.

Durban é também uma excelente opção para safáris. Há poucas horas da cidade estão localizados os parques nacionais Hluluwe e Imfulozi, famosos mundialmente pelos projetos de reabilitação de rinocerontes pretos que já foram ameaçados de extinsão no país. Os parques têm várias opções de acomodação em reservas privadas e, também, em vilas culturais inspiradas nas tribos da África do Sul. Além dos rinocerontes pretos, o turista que opta por um safári em Hluluwe e Imfulozi não deve se decepcionar. Há grandes chances de trazer para casa fotos dos desejados big five (leão, leopardo, rinoceronte, búfalo e elefante).

No caminho para Port Elizabeth, na rota conhecida como Wild Coast, há também outros parques menores e charmosas reservas animais privadas. Um dos mais famosos é o Addo Elephant Park, que além de elefantes, também conta com os big five.

Quem quiser explorar a montanha Drakensberg, uma formação rochosa que começa na cidade e vai até a área do Kruger Park, tem em Durban o ponto de partida ideal. É possível combinar uma viagem passando pela Swazilândia, um dos dois países localizados dentro do território da África do Sul – o outro é o Lesotho.

Tive a idéia de escrever este post após terminar de responder algumas perguntas para auxiliar um jornalista que estava escrevendo uma matéria sobre a cidade. Abaixo, algumas dicas que passei para ele e que detalhei neste texto:

* VISITAR O USHAKA MARINE WORLD, considerado um dos 4 maiores aquários do mundo.

* VISITAR UMA TRIBO ZULU, original da área. De preferência em uma das reservas de conservação da área do monte Drakensberg. Passar um dia com eles, ver as crianças dançando, estudando e se consultar com uma Sangoma limpa a alma por umas três encanações.

* EXPLORAR O DRAKENSBERG – a impressionante formação rochosa que começa na cidade e vai até o Kruger Park.

* FAZER UM SAFÁRI NAS RESERVAS DE HLUHLUWE E IMFOLOZI (PRONUNCIA-SE CHU-CHU-LU-WI E UM-FU-LO-ZI) – famosos pela conservação dos rinocerentes pretos, os parques são ótimas opções para observar os Big Five.

* EMBARCAR EM UMA LUXUOSA VIAGEM DE TREM PARTINDO DE DURBAN PARA PRETORIA NO ROVOS RAIL
O trem, considerado o mais luxuoso do mundo, tem saídas regulares e liga as cidades de Durban e Pretoria. No caminho, uma série de atividades como safáris em reservas animais privadas.

* VISITAR O MERCADO INDIANO
Repleto de especiarias, o mercado indiano é a melhor opção para compras de tecidos, artesanatos e temperos.

* VISITAR O MERCADO AFRICANO
Localizado próximo ao mercado indiano, o mercado africano mexe com as emoções e estômago. Transborda cultura tribal e não deve ser visitado sozinho, somente com guia.

* CAMINHAR EM GOLDEN MILE
Como é conhecido o calçadão de Durban.

* CAMINHAR E CRUZAR AS PRAIAS NORTH, SOUTH E CENTRAL
Para entender um pouco da história do apartheid na ilha que definia, na época, os espaços de brancos, negros e coloured (indianos)

* PASSEAR PELA FLORIDA ROAD, no bairro de MUSGRAVE
A avenida reúne um grande número de clubes, restaurantes, ateliers, lojas e antiquários e é garantia de diversão a qualquer momento do dia.

* VISITAR OS MUSEUS DE GHANDI E DO APARTHEID
Que contam a história da cultura indiana da cidade e fatos interessantes como a mudança de nomes de várias placas, monumentos etc.

* PEGAR UMA PRAIA EM UMHLANGA (pronuncia-se UM-CHU-LAN-GA)
Não se engane, Umhlanga é o lugar para se pegar praia.

* APOSTAR (com moderação) EM UM CASINO
Durban é famosa pela quantidade de Casinos. Se quiser conhecer onde costumam ir os sul-africanos vá ao Sun Coast. Se preferir algo mais luxuoso vá ao Sibaya, o casino da principal rede de hotéis do país, a Sun International.

HOTÉIS
Assim como outras cidades sul-africanas, Durban oferece uma grande variedade de acomodações que vão desde backpackers e guest houses a luxuosos hotéis butique. As guest houses são as opções mais charmosas e podem ser encontradas em diversas categorias. Pesquise!

Um post com algumas sugestões de acomodação também está sendo preparado.

Cheers!
ERIK SADAO

Anúncios

Ações

Informação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: